Voluntários pulverizam Wuhan com desinfetante para ajudar a cidade a voltar ao trabalho

Por Kyotech
09/04/2020 · Voluntários pulverizam Wuhan com desinfetante para ajudar a cidade voltar ao trabalho

    Voluntários, usando roupas de proteção, pulverizam Wuhan com desinfetante para ajudar a cidade chinesa, onde o surto do novo coronavírus teve início, a voltar ao trabalho, assim como diminuir o numero de novos casos na China.
    Wuhan, onde 11 milhões de pessoas vivem, está paralisada nos esforços de contenção impostos pelas autoridades, que fecharam o transporte público e os serviços de táxi como parte do bloqueio deixando principalmente para, cidadãos comuns, a tarefa de manter a cidade funcionando.
    Zhang Quan é membro da Blue Sky Rescue, a maior organização humanitária da china,  que está envolvida no auxílio à distribuição de suprimentos médicos para a epidemia.
    O ex-soldado, lidera uma equipe de 60 voluntários focada na desinfecção de locais como hospitais e escolas : "Temos professores, policiais, empresários", disse ele à Reuters na quinta-feira sobre sua equipe usando roupas proteção, que se preparava para percorrer o Grande Teatro Wuhan Qintai para desinfetar seus assentos e corredores com uma névoa brancas de dióxido de cloro. Com isto, começaram a relaxar as restrições nas últimas semanas e permitirão que as pessoas comecem a deixar a cidade em 8 de abril, mais de dois meses após a restrição ter sido adotada no final de janeiro. Ainda assim, na sexta-feira, a principal autoridade de Wuhan alertou os moradores para fortalecer as medidas de autoproteção e evitar sair enquanto Pequim prega vigilância para evitar o ressurgimento de infecções.
    Wang Zhonglin, chefe do Partido Comunista de Wuhan, disse que o risco de retomada da epidemia de coronavírus na cidade permanece alto devido a riscos internos e externos e que deve continuar a manter medidas de prevenção e controle. A China registrou um total de 81.589 casos confirmados, que excluem pacientes assintomáticos e 3.318 mortes pelo surto. Em todo o mundo, o número de casos superou 1 milhão, com pelo menos 52.000 mortes. 

Fonte: New York Post - Abril 3, 2020 | 2:34pm